FANDOM


Predefinição:Ver desambig Predefinição:Info/Cientista Marie Curie, nome assumido após o casamento por Maria Skłodowska, (Varsóvia, Predefinição:DtlinkPassy, Sallanches, Predefinição:Dtlink) foi uma cientista polonesa que exerceu a sua actividade profissional na França. Foi a primeira pessoa a ser laureada duas vezes[1] com um Prémio Nobel, de Física, em 1903 (dividido com seu marido, Pierre Curie, e Becquerel) pelas suas descobertas no campo da radioatividade (que naquela altura era ainda um fenómeno pouco conhecido) e com o Nobel de Química de 1911 pela descoberta dos elementos químicos rádio e polônio[2].

Juventude Editar

Arquivo:Maison natale de Marie Curie.JPG

Maria Sklodowska nasceu na atual capital da Polônia, Varsóvia, em 7 de novembro de 1867, quando essa ainda fazia parte do Império Russo. Seu pai era professor numa escola secundária. Marie educou-se em pequenas escolas da região de Varsóvia, obtendo um nível básico de formação científica com seu pai.[3]

Envolveu-se com uma organização estudantil que almejava transformar a ciência e, por isso, foi levada a fugir de Varsóvia - que então era dominada pela Rússia - para a Cracóvia, na época parte do Império da Áustria. Em 1881, com a ajuda da irmã, mudou-se para Paris, onde concluiu os seus estudos. Estudando na Sorbonne, obteve licenciatura em física e em matemática. Em 1894 conheceu Pierre Curie, professor na Faculdade de Física, com quem no ano seguinte se casou. Ele ajudou em seus estudos para descobrir elementos químicos como o radio, o polônio, e a radioatividade.[3]

EstudosEditar

Em 1896 Henri Becquerel incentivou-a a estudar as radiações emitidas pelos sais de urânio, que por ele tinham sido descobertas. Juntamente com o seu marido, Maria começou, então, a estudar os materiais que produziam tais radiações, procurando novos elementos que, segundo a hipótese que os dois defendiam, deveriam existir em determinados minérios como a pechblenda (que tinha a curiosa característica de emitir ainda mais radiação que o urânio dela extraído)[2]. Efetivamente, em 1898 deduziram que haveria, com certeza, na pechblenda, algum componente liberando mais energia que o urânio; em 26 de Dezembro do mesmo ano, Maria Skłodowska Curie anunciou a descoberta dessa nova substância à Academia de Ciências de Paris.

Após vários anos de trabalho constante, através da concentração de várias classes de pechblenda, isolaram dois novos elementos químicos[4]. O primeiro foi nomeado polônio, em referência a seu pais nativo, e o outro rádio, devido à sua intensa radiação, do qual conseguiram obter em 1902 0,1 g. Posteriormente partindo de oito toneladas de pechblenda, obtiveram mais 1 g de sal de rádio. Propositalmente, nunca patentearam o processo que desenvolveram. Os termos radioativo e radioatividade foram inventados pelo casal para caracterizar a energia liberada espontaneamente por este novo elemento químico.

Com Pierre Curie e Antoine Henri Becquerel, Marie recebeu o Nobel de Física de 1903, "em reconhecimento aos extraordinários resultados obtidos por suas investigações conjuntas sobre os fenômenos da radiação, descoberta por Henri Becquerel". Foi a primeira mulher a receber tal prêmio.

Carreira científica Editar

Arquivo:Dyplom Sklodowska-Curie.jpg

Marie Curie conseguiu que seu marido, Pierre Curie, se tornasse chefe do Laboratório de Física da Sorbonne. Doutorou-se em ciências em 1903, e após a morte de Pierre Curie em 1906, em um acidente rodoviário, ela ocupou o seu lugar como professora de Física Geral na Faculdade de Ciências. Foi a primeira mulher a ocupar este cargo. Foi também nomeada Diretriz do Laboratório Curie do Instituto do Radium, da Universidade de Paris, fundado em 1914.[3]

Participou da 1ª à 7ª Conferência de Solvay.

Reconhecimento Editar

Oito anos depois, recebeu o Nobel de Química de 1911, «em reconhecimento pelos seus serviços para o avanço da química, com o descobrimento dos elementos rádio e polônio, o isolamento do rádio e o estudo da natureza dos compostos deste elemento». Com uma atitude generosa, não patenteou o processo de isolamento do rádio, permitindo a investigação das propriedades deste elemento por toda a comunidade científica.

O Nobel da Química foi-lhe atribuído no mesmo ano em que a Academia de Ciências de Paris a rejeitou como sócia, após uma votação ganha por Eduard Branly com diferença de apenas um voto.

Foi a primeira pessoa a receber duas vezes o Prêmio Nobel. Linus Pauling repetiu o feito, ganhando o Nobel de Química, em 1954 e o Nobel da Paz em 1962 e tornou-se a única personalidade a ter recebido dois Prémios Nobel não compartilhados. Por outro lado, Marie Curie foi a única pessoa a receber duas vezes o Prémio Nobel, em áreas científicas distintas.[4]

Em 1906 sucedeu ao seu marido na cadeira de Física Geral, na Sorbonne.[2]

Depois da morte do seu marido, Marie teve um relacionamento amoroso com o físico Paul Langevin, que era casado, fato que resultando num escândalo jornalístico com referências xenófobas, devido à sua origem polaca.

Arquivo:1911 Solvay conference.jpg

Durante a Primeira Guerra Mundial, Curie propôs o uso da radiografia móvel para o tratamento de soldados feridos. Em 1921 visitou os Estados Unidos, onde foi recebida triunfalmente. O motivo da viagem era arrecadar fundos para a pesquisa. Nos seus últimos anos foi assediada por muitos físicos e produtores de cosméticos, que faziam uso de material radioativo sem precauções. Visitou também o Brasil, atraída pela fama das águas radioativas de Lindoia[4].

Fundou o Instituto do Rádio, em Paris. Em 1922 tornou-se membro associado livre da Academia de Medicina.

Marie Curie morreu perto de Salanches, França, em 1934, de leucemia, devido, seguramente, à exposição maciça a radiações durante o seu trabalho. Sua filha mais velha, Irène Joliot-Curie, recebeu o Nobel de Química de 1935, ano seguinte à morte de Marie.

O seu livro "Radioactivité" (escrito ao longo de vários anos), publicado a título póstumo, é considerado um dos documentos fundadores dos estudos relacionados à Radioactividade clássica.

Em 1995 seus restos mortais foram transladados para o Panteão de Paris, tornando-se a primeira mulher a ser sepultada neste local.

Durante o período da hiperinflação nos anos 90, sua efígie foi impressa nas notas de banco de 20000 zloty da sua Polônia natal.

A sua filha, Éve Curie, escreveu a mais famosa das biografias da cientista, traduzida em vários idiomas. Em Portugal, é editada pela editora "Livros do Brasil". Esta obra deu origem em 1943 ao argumento do filme: "Madame Curie", realizado por Mervyn LeRoy e com Greer Garson no papel de Marie Curie.

Foram também feitos dois telefilmes sobre a sua vida: "Marie Curie: More Than Meets the Eye" (1997) e "Marie Curie - Une certaine jeune fille" (1965), além de uma minissérie francesa, "Marie Curie, une femme honorable" (1991).

O elemento 96 da tabela periódica, o Cúrio, símbolo Cm foi batizado em honra do Casal Curie.

No dia 7 de novembro de 2011 recebe homenagem na pagina inicial do motor de busca Google por seus 144 anos desde a data do nascimento através de um Doodle comemorativo que ainda se encontra disponível em seu histórico de Doodles.[5]

Bibliografia Editar

  • Robert Reid, Marie Curie, New York, New American Library, 1974.
  • Teresa Kaczorowska, Córka mazowieckich równin, czyli Maria Skłodowska–Curie z Mazowsza (Daughter of the Mazovian Plains: Maria Skłodowska–Curie of Mazowsze), Ciechanów, 2007.
  • Wojciech A. Wierzewski, "Mazowieckie korzenie Marii" ("Maria's Mazowsze Roots"), Gwiazda Polarna (Pole Star), a Polish-American biweekly, vol. 100, no. 13 (21 June 2008), pp. 16–17.
  • L. Pearce Williams, "Curie, Pierre and Marie", Encyclopedia Americana, Danbury, Connecticut, Grolier, Inc., 1986, vol. 8, pp. 331–32.
  • Barbara Goldsmith, Obsessive Genius: The Inner World of Marie Curie, New York, W.W. Norton, 2005, ISBN 0-393-05137-4.
  • Naomi Pasachoff, Marie Curie and the Science of Radioactivity, New York, Oxford University Press, 1996, ISBN 0-19-509214-7.
  • Eve Curie, Madame Curie: A Biography, translated by Vincent Sheean, Da Capo Press, 2001, ISBN 0-306-81038-7.
  • Susan Quinn, Marie Curie: A Life, New York, Simon and Schuster, 1995, ISBN 0-671-67542-7.
  • Françoise Giroud, Marie Curie: A Life, translated by Lydia Davis, Holmes & Meier, 1986, ASIN B000TOOU7Q.
  • Redniss, Lauren, Radioactive, Marie & Pierre Curie: A Tale of Love and Fallout, New York, Harper Collins, 2010, ISBN 978-0-06-135132-7.

Predefinição:Referências

Ligações externasEditar

Predefinição:Correlatos


Predefinição:Começa caixa Predefinição:Caixa de sucessão Predefinição:Caixa de sucessão Predefinição:Caixa de sucessão Predefinição:Termina caixa


Predefinição:Nobel de Física Predefinição:Medalha Matteucci Predefinição:Medalha Elliott Cresson Predefinição:Nobel de Química Predefinição:Cientistas cujos nomes são utilizados como unidades não SI

Predefinição:Portal3Predefinição:Link FA

af:Marie Curie an:Marie Curie ar:ماري كوري arz:مارى كورى as:মেডাম কুৰী ast:Marie Curie az:Mariya Küri ba:Мария Склодовская-Кюри bat-smg:Marėjė Skluoduovska-Kiorė be:Марыя Кюры be-x-old:Марыя Складоўская-Кюры bg:Мария Кюри bn:মারি ক্যুরি br:Marie Curie bs:Marie Curie ca:Marie Curie ckb:ماری کوری crh:Mari Sklodovska-Küri cs:Maria Curie-Skłodowska cv:Кюри Мария cy:Marie Curie da:Marie Curie de:Marie Curie diq:Marie Curie el:Μαρία Κιουρί en:Marie Curie eo:Marie Curie es:Marie Curie et:Marie Curie eu:Marie Curie ext:Marie Curie fa:ماری کوری fi:Marie Curie fr:Marie Curie fy:Maria Curie-Skłodowska ga:Marie Curie gan:居里夫人 gd:Marie Curie gl:Marie Curie gn:Marie Curie he:מארי קירי hi:मेरी क्युरी hif:Marie Curie hr:Maria Skłodowska-Curie ht:Marie Curie hu:Marie Curie hy:Մարի Քյուրի ia:Marie Curie id:Marie Curie ilo:Marie Curie io:Marie Curie is:Marie Curie it:Marie Curie ja:マリ・キュリー jv:Marie Curie ka:მარი სკლოდოვსკა-კიური kk:Мария Склодовская-Кюри km:ម៉ារី គុយរី kn:ಮೇರಿ ಕ್ಯೂರಿ ko:마리 퀴리 ku:Marie Curie la:Maria Curie lad:Marie Curie lb:Marie Curie lij:Marie Curie lmo:Marie Curie lt:Marie Curie lv:Marija Sklodovska-Kirī map-bms:Marie Curie mk:Марија Склодовска - Кири ml:മേരി ക്യൂറി mn:Мари Кюри mr:मेरी क्युरी ms:Marie Curie mt:Marie Curie my:ကျူးရီး၊ အမ် mzn:ماری کوری nah:Marie Curie nds:Marie Curie nds-nl:Marie Curie ne:मेरी क्युरी new:मेरी क्युरी nl:Marie Curie nn:Marie Curie no:Marie Curie oc:Marie Curie or:ମେରୀ କ୍ୟୁରି pa:ਮੈਰੀ ਕਿਉਰੀ pam:Marie Curie pcd:Marie Curie pl:Maria Skłodowska-Curie pms:Marie Curie pnb:میری کیوری qu:Marie Curie ro:Marie Curie ru:Склодовская-Кюри, Мария rue:Марія Кюрі sa:मेरी क्युरी sah:Кюри Мария scn:Marie Curie sco:Marie Curie sh:Marie Curie si:මාරි කියුරි simple:Marie Curie sk:Marie Curiová sl:Marie Skłodowska-Curie sq:Marie Curie sr:Марија Кири su:Marie Curie sv:Marie Curie sw:Marie Curie ta:மேரி கியூரி te:మేరీ క్యూరీ th:มารี กูรี tl:Marie Curie tr:Marie Curie tt:Мария Склодовская-Кюри uk:Марія Склодовська-Кюрі ur:میری کیوری uz:Marie Curie vi:Marie Curie vo:Marie Curie war:Marie Curie xmf:მარი სკლოდოვსკა-კიური yi:מארי קירי yo:Marie Curie zh:玛丽·居里 zh-min-nan:Marie Curie zh-yue:居禮夫人


Erro de citação: existem marcas <ref>, mas nenhuma marca <references/> foi encontrada

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

Também no FANDOM

Wiki aleatória